Alessandro
Teixeira

 Nascido em Salvador em 1976, inicia nas artes na oficina de escultura do pai no inicio dos anos 90. Lá aprender a modelagem em metal. Logo nos primeiros anos começa uma investigação por outras técnicas, Ferreiros e ourives eram os seus interesses principais o que lhe capacitou ainda mais na manipulação das propriedades e características do metal. Imprimindo personalidade em cada escultura que faz Alessandro Teixeira cria uma  identidade e o reconhecimento como artista no cenário cultural de salvador.


Aless…

Em 2001 abre seu atelier para suas experimentações em esculturas, explorando o conhecimento em arte e artesanato em metal ,sobretudo a arte negra, que aprendeu com o pai, em conjunto aos conhecimentos que adquiriu com seus estudos e pesquisas. Há nesse período uma grande produção de esculturas ,quadros dentre outros objetos devido a sua necessidade de materializar ao máximo todas as suas ideias e inspirações que surgia .A Partir desse momento passar assinar como “ALESS…”  em suas obras,uma síntese de seu nome acompanhado de uma reticencia dando a ideia de continuidade de algo a prosseguir, o que mi definia como artista á época por está em busca constante de novos conhecimentos e novas formas de fazer arte e de mi expressar. O que ainda nos dias de hoje permanece , a eterna sede pelo novo, a expectativa pela nova forma.

As obras

Os trabalhos de Aless … se caracteriza principalmente por não usar tinta em suas esculturas , pra não esconder o metal ,fazendo a mistura deles numa mesma escultura ,explorando suas cores ,brilhos e tonalidades.O movimento,o volume, o desenho, a textura  e a cor natural do metal são usados harmonicamente pra fala alguma coisa, pode ser um sentimento , a religiosidade ou a cultura popular,como também algo totalmente particular.

Clientes

Ao longo desses mais de 20 anos de carreira o artista plástico Aless… Vêm realizando trabalhos pra grandes empresas, organizações e personalidades.

Materializando emoções…

A cada criação há uma historia um contexto, isso pode ser anterior à confecção, o que chamamos de inspiração, ou durante a criação, na confecção. Costumo dizer que “a escultura que diz o que quer” ela conduz o trabalho. O escultor conversa com sua obra, e nesse namoro surgir novas ideias, novas formas do fazer, e a escultura ser torna um sentimento uma emoção materializada.

Aqui está à seleção de algumas dessas!